skip to Main Content
Cirurgia da Doença de Dupuytren

O tratamento cirúrgico da Doença de Dupuytren é extremamente delicado, que tem como objetivo a remoção dos nódulos e/ou cordas da palma das mãos, além da correção das deformidades das mesmas, com o objetivo de esticar os dedos flexionados.

Doença de Dupuytren | Dr. Guilherme Sevá

Aspecto pré operatório: presença de corda no quinto e quarto dedos com limitação da extensão dos mesmos.

É necessário um planejamento prévio das incisões para garantir que a pele possa cobrir a palma após esticar os dedos. Isto é feito por meio de uma técnica muito utilizado por cirurgiões plásticos e cirurgiões de mão especializados, denominada zetaplastia, que consiste em criar retalhos de pele que movimentam-se e mudam de lugar após a correção dos dedos, garantindo que a pele alcance o comprimento necessário, “alongando” a cicatriz.

Técnica de Zetaplastia | Dr. Guilherme Sevá

Tratamento Cirúrgico da Doença de Dupuytren: Técnica de Zetaplastia simples.

Zetaplastia | Dr. Guilherme Sevá

Planejamento pré operatório das Zetaplastias.

Além das zetaplastias, podem ser utilizadas incisões em zigue-zague, que contribuem para um bom suprimento sanguíneo da pele após a cirurgia, e são muito utilizadas nas cirurgias de mão, não somente para o tratamento cirúrgico da Doença de Dupuytren.

Tratamento Cirúrgico da Doença de Dupuytren | Dr. Guilherme Sevá

Resultado final após correção cirúrgica com zetaplastias e incisões em zigue-zague.

O resultado final do tratamento cirúrgico da doença de Dupuytren é extremamente satisfatório e, em poucas semanas, a mão operada pode ser utilizada para atividades habituais.

Achou interessante? Venha nos conhecer!

Referências:

1. CAMPBELL’S OPERATIVE ORTHOPAEDICS, TWELFTH EDITION, 2013 – Capítulo 64 – Basic Surgical Technique and Postoperative Care – página 3241

Back To Top