skip to Main Content

Complicações e Reoperações ortopédicas: Problemas com a cirurgia quando ela dá errado

Problemas com a cirurgia ortopédica podem ocorrer e os pacientes devem estar cientes dos riscos e de fatores que possam levar à complicações antes de realizarem qualquer procedimento.

Introdução

As cirurgias ortopédicas visam aliviar a dor e melhorar a função, porém existem alguns riscos de ocorrência de complicações que os pacientes devem conhecer antes de se submeterem a qualquer procedimento.

É importante conversar com o médico sobre quaisquer dúvidas ou preocupações antes de realizar a cirurgia e saber detalhadamente o que está sendo proposto no seu caso. Muitas vezes o paciente desconhece o procedimento proposto ou não entende o que deve esperar como resultado, levando à uma insatisfação quanto ao resultado.

Tipos de problemas com a cirurgia ortopédica

Existem dois tipos de complicações: as agudas e as crônicas.

As complicações agudas acontecem logo após a cirurgia, como infecção, sangramento, lesão nervosa e reação alérgica aos medicamentos. Outras complicações possíveis incluem problemas com a cicatrização da ferida e coágulos sanguíneos que podem viajar para o pulmão. Essas complicações são raras, mas é importante saber sobre elas.

As complicações crônicas são problemas que podem se desenvolver ao longo do tempo após a cirurgia, como dor crônica, limitação da mobilidade, rigidez muscular, fraqueza muscular e dor neuropática. Essas complicações podem afetar a qualidade de vida do paciente.

As últimas são as que frequentemente trazem o paciente ao consultório do especialista em busca de uma segunda opinião ou, muitas vezes, uma resolução de um caso ainda não resolvido em um primeiro procedimento com outro colega.

Exemplos de complicações crônicas

A dor crônica pode ser causada por danos nos nervos, inflamação ou simplesmente pela dificuldade de se movimentar. Esse problema pode afetar muito a qualidade de vida do paciente, tornando difícil a realização de atividades cotidianas.

Outra complicação crônica é a limitação da mobilidade, que pode ser causada por uma variedade de fatores, como danos nos nervos, cicatrizes de tecido ou inflamação.

Já a rigidez articular e a fraqueza muscular podem ocorrer como resultado da cirurgia ortopédica, especialmente se o paciente não seguir um programa adequado de reabilitação.

Por fim, a dor neuropática é uma dor aguda ou crônica que ocorre como resultado de danos nos nervos. Ela pode ser um problema crônico após a cirurgia ortopédica, principalmente se houver danos nos nervos próximos à área operada, e causa dormência e choque tanto no local operado como no membro todo, em irradiação.

Problemas com a cirurgia ortopédica | DS Ortopedia
Problemas com a cirurgia ortopédica: Imagem demonstrando caso de fratura do antebraço operada há alguns meses, com deformidade persistente após o primeiro tratamento cirúrgico. Foi indicada então uma cirurgia de revisão para realinhamento ósseo.
Problemas com a cirurgia ortopédica | DS Ortopedia
Imagem radiográfica dos dois antebraços, em que é possível observar a deformidade residual após a primeira cirurgia e comparar com o membro contralateral. Neste caso, podemos ver também a programação cirúrgica da segunda cirurgia, para revisão do caso.

Como diminuir o risco de problemas após a cirurgia ortopédica?

Para minimizar o risco de complicações crônicas, é importante seguir as instruções de reabilitação pós-operatória e cuidar da saúde. Além disso, é essencial manter uma boa comunicação com o médico para monitorar quaisquer problemas que possam surgir após a cirurgia.

Porém, algumas vezes, a ocorrência destes problemas pode ser associada à erros técnicos durante a cirurgia ou durante o acompanhamento pós-operatório por falta de orientação da equipe médica, apesar da adequada aderência do paciente ao tratamento. Isto é muito comum nos casos que o paciente não tem acesso direto ao médico ou à equipe que o acompanha.

Minha cirurgia deu errado. Como resolver?

As sequelas ortopédicas podem ser tratadas de diversas maneiras, por meio da fisioterapia, medicações e reoperações.

A fisioterapia pode ajudar o paciente a recuperar a mobilidade e a força muscular, reduzir a dor e a rigidez. Mesmo quando realizada de forma tardia, ou seja, muito depois da realização da cirurgia, ela é uma importante aliada no ganho de função e deve ser realizada por fisioterapeuta experiente e de forma individualizada para cada paciente.

Os analgésicos podem ser administrados para melhorar a qualidade de vida do paciente e auxiliar na reabilitação. É importante ressaltar aqui que o uso indiscriminado de anti-inflamatórios de uso contínuo não deve ser feito, devido aos riscos à saúde que podem causar, como insuficiência renal e úlceras gástricas. O uso crônico de fórmulas manipuladas também não é recomendado, pois estas contêm anti-inflamatórios em doses mais baixas que, além de causarem os mesmos danos relacionados ao uso crônico, não promovem melhora da dor e do incômodo.

Em casos mais graves, a cirurgia pode ser necessária para tratar as sequelas ortopédicas. O tipo de cirurgia dependerá do tipo de lesão e da extensão, podendo envolver a reconstrução ou substituição de partes do corpo danificadas. Alguns exemplos de cirurgias ortopédicas para tratamento de sequelas são:

  • Substituição da articulação doente: próteses de quadril, joelho, tornozelo, ombro ou cotovelo.
  • Osteotomias: cortes ósseos realizados de forma a realinhar os ossos desalinhados.
  • Artroscopias: cirurgias por vídeo que buscam realizar limpezas articulares e remover cicatrizes de forma minimamente invasiva, melhorando a dor e a mobilidade.
  • Retirada de placas ou parafusos: frequentemente estes materiais podem causar incômodos aos pacientes e necessitar serem retirados.
  • Artrodeses: são as fusões ósseas, indicadas quando há dano irreparável da articulação. Elas buscam melhora da dor e da função, com graus diversos de rigidez, a depender do local acometido.

Qual a importância em se procurar um especialista?

Infelizmente, um dos principais motivos para maus resultados em cirurgias ortopédicas é a realização por médicos não especialistas ou não habilitados.

É importante ressaltar que o tratamento cirúrgico deve ser realizado por um médico especialista na área e a decisão de realizar uma cirurgia deve ser tomada em conjunto com o paciente, considerando seus objetivos, expectativas e condições de saúde.

A cirurgia ortopédica é uma área complexa e exige um conhecimento técnico específico, além de habilidades cirúrgicas apuradas. Por isso, é fundamental escolher um médico especializado e com experiência. O paciente deve buscar informações detalhadas sobre a formação e experiência do médico antes de decidir pela realização da cirurgia. A escolha correta do profissional pode fazer toda a diferença no resultado do tratamento.

Quando se deve reoperar uma cirurgia ortopédica?

Uma reoperação em cirurgia ortopédica pode ser necessária por diversos motivos, como complicações pós-operatórias, recorrência da lesão ou insucesso da cirurgia inicial. Alguns exemplos de situações em que pode ser necessária uma reoperação incluem:

  • Infecção no local da cirurgia: Se ocorrer uma infecção no local da cirurgia, pode ser necessário realizar uma reoperação para limpar a área infectada e remover quaisquer tecidos danificados ou infectados.
Infecção de ferida operatória | DS Ortopedia
Imagem demonstrando uma infecção de ferida operatória após a primeira semana.
Problemas com a cirurgia ortopédica | DS Ortopedia
Resolução completa da infecção após limpeza cirúrgica e troca dos parafusos.
  • Problemas de cicatrização: Se a incisão não cicatrizar adequadamente ou houver problemas de cicatrização nos tecidos internos, uma reoperação pode ser necessária para corrigir o problema.
  • Má colocação de implantes: Se um implante (como uma prótese ou um parafuso) for mal colocado ou se mover após a cirurgia, pode ser necessário realizar uma reoperação para reposicionar ou remover o implante
  • Falha na cirurgia: Em alguns casos, a cirurgia inicial pode não ter sido bem-sucedida em resolver a condição subjacente ou pode ter levado a complicações adicionais. Nesses casos, uma reoperação pode ser necessária para tentar corrigir o problema.

O momento exato em que uma reoperação é necessária depende do motivo da cirurgia original, das condições individuais do paciente e de outros fatores. Em geral, a decisão de realizar uma reoperação é tomada em conjunto entre o paciente e o cirurgião, com base em uma avaliação cuidadosa da situação.

Paciente em pós operatório de cirurgia de joanetes mal sucedida
Paciente em pós operatório de cirurgia de joanetes mal sucedida, que levou à correção insuficiente da deformidade.
Correção da deformidade após novo procedimento | DS Ortopedia
Imagem pós operatória demonstrando correção da deformidade após novo procedimento.

É possível resolver definitivamente os problemas com a cirurgia?

Sim, muitas vezes, após avaliação cuidadosa de um especialista (que engloba uma boa entrevista, um detalhado exame físico e, se necessário, exames adicionais), é possível uma solução até para casos mais complexos.

O paciente deve entender que não é normal ter dor persistente ou ser obrigado a conviver com incapacidade ou deformidades e que o esperado para a maior parte das cirurgias ortopédicas é um bom resultado, sem dor, com boa mobilidade e retorno às atividades diárias e esportivas sem problemas.

Gostou? Compartilhe essas informações.
Confira as lesões ou doenças mais comuns em pés e tornozelos. 

Perguntas dos Pacientes

1. O que é sequela de cirurgia?

Sequela de cirurgia é uma condição que se desenvolve após o procedimento e persiste por um período prolongado ou permanente após a conclusão da recuperação. As sequelas podem ser causadas por danos nos tecidos ou órgãos durante a cirurgia, reações a medicamentos ou anestesia, complicações pós-operatórias ou até mesmo pela própria doença que levou à cirurgia. A gravidade e duração das sequelas podem variar significativamente, dependendo da extensão da cirurgia, idade, condição de saúde geral do paciente e outras variáveis. É importante ressaltar que nem todas as cirurgias ortopédicas resultam em sequelas e, muitas vezes, as possíveis complicações são abordadas durante o processo de avaliação pré-operatória. Além disso, é essencial que os pacientes sigam as orientações pós-operatórias e compareçam às consultas de acompanhamento para minimizar os riscos de sequelas e obter o melhor resultado possível.

2. Quais as principais complicações das cirurgias ortopédicas?

As cirurgias ortopédicas podem ter várias complicações, que podem variar de acordo com o tipo de procedimento realizado, a condição do paciente e outros fatores. Algumas das complicações mais comuns incluem: infecção, sangramento excessivo, tromboses, lesões de nervos e problemas de cicatrização. É importante lembrar que as complicações são raras e a maioria dos pacientes se recupera bem após a cirurgia. No entanto, é importante que os pacientes estejam cientes dos riscos e conversem com seu médico sobre quaisquer preocupações ou perguntas que tenham antes da cirurgia.

3. O que é uma sequela de fratura?

Uma sequela de fratura é uma condição que pode ocorrer após uma fratura óssea mal curada ou mal tratada, levando a um resultado indesejável. Geralmente, as sequelas de fraturas resultam em dor crônica, perda de função, limitação da mobilidade, deformidades ósseas, instabilidade articular, má formação óssea, perda de comprimento ósseo, entre outros problemas.

4. Como se recuperar de uma cirurgia ortopédica?

A recuperação de uma cirurgia ortopédica pode variar de acordo com o tipo de cirurgia e o paciente em questão. No entanto, algumas recomendações gerais que podem ajudar na recuperação incluem:

  • Seguir as orientações médicas: É importante seguir rigorosamente as instruções do médico em relação ao repouso, atividades permitidas e medicamentos prescritos.
  • Realizar fisioterapia: A fisioterapia é uma parte importante da recuperação de cirurgias ortopédicas e pode ajudar a melhorar a mobilidade e a força muscular. É importante seguir as recomendações do fisioterapeuta e realizar as atividades prescritas.
  • Manter uma alimentação saudável: A alimentação adequada pode ajudar no processo de cicatrização e recuperação. É importante consumir alimentos nutritivos e beber bastante água.
  • Evitar o estresse excessivo na área operada: Evite atividades que coloquem pressão excessiva na área operada, como levantamento de peso ou movimentos bruscos.
  • Descansar adequadamente: O repouso adequado é fundamental para a recuperação após a cirurgia ortopédica. É importante descansar o suficiente e evitar movimentos que possam prejudicar a área operada.
  • Não fumar: O tabagismo pode prejudicar a recuperação e cicatrização dos tecidos. É importante evitar o cigarro durante a recuperação.

É importante lembrar que cada caso é único e pode ser necessário seguir recomendações específicas para a sua recuperação. É importante conversar com o médico e seguir todas as orientações recomendadas.

5. O que significa uma sequela permanente?

Uma sequela permanente é uma condição de saúde que persiste após um evento agudo, como uma lesão ou uma cirurgia, e que não pode ser completamente revertida ou curada. É uma complicação de longo prazo que pode afetar a funcionalidade do paciente, sua qualidade de vida e suas atividades diárias.

Back To Top