skip to Main Content

Dedo em Gatilho

Introdução

O travamento de um ou mais dedos, chamado também de dedo em gatilho, é uma condição em que o tendão que movimenta o dedo perde a sua movimentação completa, limitando a função e causando dor. Isto acontece devido a uma inflamação no tendão, que faz com que ele se torne inchado e espessado.

O dedo em gatilho é mais comum nas mulheres e após a quinta ou sexta década de vida, porém qualquer pessoa pode adquirir a doença. Existem tratamentos cirúrgicos e não- cirúrgicos para esta doença, sendo sempre possível a cura definitiva. O tratamento cirúrgico é uma excelente opção por ser pouco invasivo e promover resultados estéticos e funcionais muito satisfatórios, com rápido retorno as atividades habituais.

O que é o dedo em gatilho?

O travamento de um ou mais dedos, chamado também de dedo em gatilho, é uma condição em que o tendão que movimenta o dedo perde a sua movimentação completa, limitando a função e causando dor.

Isso acontece devido a uma inflamação no tendão, que faz com que ele se torne inchado e espessado.

Existem tratamentos cirúrgicos e não-cirúrgicos para esta doença, sendo possível a cura definitiva.

Quais são os sintomas?

A doença tem alguns estágios, e na maioria das vezes vai progressivamente piorando com o tempo.

Os sintomas geralmente são mais comuns pela manhã, após longos períodos sem movimentar (o que ocorre à noite).

Inicialmente, os sintomas são dor na palma da mão, algum inchaço e travamentos leves dos dedos ao dobrá-los, sendo possível a pessoa esticar novamente os dedos com uma leve força. Neste movimento, comumente é sentido um estalido na região da palma da mão, e o paciente pode sentir que o dedo está “raspando” ao movimentar.

Conforme a doença progride, pode ser necessária a ajuda da outra mão para esticar ou fletir o dedo.

Na fase mais avançada, o dedo permanece travado na posição fletida (dobrado) ou esticada, sem que o paciente consiga esticar ou fletir.  Se mantido muito tempo nesta posição, o dedo pode tornar-se rígido e a condição se tornar permanente.

É comum a associação do dedo em gatilho com a síndrome do túnel do carpo. Nesses casos, além do travamento do dedo, o paciente apresenta formigamentos na palma da mão e nos dedos centrais.

Quem pode ter dedo em gatilho?

O dedo em gatilho é mais comum nas mulheres após os 40 anos de idade, porém qualquer pessoa pode adquirir a doença.

Os dedos que mais comumente apresentam a doença são o anelar (quarto dedo) e o polegar, mas ela pode aparecer em qualquer dedo.

Porque o dedo em gatilho acontece?

O movimento dos nossos dedos acontece quando as articulações são movimentadas pela ação dos tendões. Os tendões são como cordas que conectam os músculos aos ossos para que eles possam se mover.

O tendão que move o dedo passa por vários pequenos “túneis” estreitos ao longo da palma da mão e do próprio dedo, chamados de polias.

Quando há inflamação do tendão ele se torna espesso e apresenta dificuldades em correr por dentro da polia. Isto faz com que aconteça os travamentos na entrada deste “túnel”. O dedo em gatilho acontece especificamente na polia que se localiza na palma da mão, próxima à base do dedo.

Dedo em Gatilho | Dr. Guilherme Sevá

A maioria dos casos ocorre de forma aleatória e sem causa definida, porém existem algumas condições que podem predispor ao aparecimento do dedo em gatilho. São elas:

  • Atividades que realizam esforços repetitivos com as mãos, como costura por exemplo.
  • Diabetes
  • Doenças reumatológicas como, por exemplo, artrite reumatoide e lúpus.
  • Gota

Como se faz o diagnóstico?

O diagnóstico é feito por um exame físico minucioso, realizado por ortopedista experiente. O exame é suficiente para o diagnóstico.

Caso haja alguma dúvida, ou para afastar outras doenças, pode-se solicitar a ultrassonografia do dedo.

Qual o tratamento do dedo em gatilho?

O tratamento indicado vai depender do estágio da doença mas, em geral, pode-se tentar o tratamento não cirúrgico como primeira opção para casos mais leves. Este tratamento baseia-se em infiltrações (injeções) com medicações anti-inflamatórias sobre a polia acometida.

Para os casos mais avançados e/ou que não melhoraram com o tratamento não cirúrgico, indica-se o tratamento cirúrgico.

O tratamento cirúrgico do dedo em gatilho é pouco invasivo e utiliza um pequeno corte sobre a polia, através do qual a polia é seccionada e o tendão é limpo de inflamações e liberado da região do travamento. A pequena cicatriz é feita sobre as linhas naturais da pele, levando a um resultado estético extremamente satisfatório.

Dedo em Gatilho | Dr. Guilherme Sevá
Demonstração da localização do tendão acometido e planejamento do corte sobre as linhas naturais da palma da mão.

Sob orientação adequada, o paciente deve iniciar a reabilitação com exercícios dentro dos primeiros dias após a cirurgia para evitar rigidez do dedo e atingir o melhor resultado. Em geral, o retorno às atividades ocorre de forma rápida após o procedimento.

Quando o paciente apresenta a síndrome do túnel do carpo associada ao dedo em gatilho, ele pode ser operado aproveitando o mesmo tempo cirúrgico.

Se o paciente for bem reabilitado e bem acompanhado no pós operatório, os resultados da cirurgia são excelentes e duradouros.

Perguntas dos Pacientes

1. O que fazer quando o dedo está travando?

Quando o dedo está travando, pode ser um sinal de dedo em gatilho e deve-se procurar um especialista em mãos. Inicialmente o tratamento é feito com remédios antiinflamatórios, gelo e, se necessário, imobilização adequada. Para casos mais graves, podem ser necessárias infiltrações ou cirurgias. Existem outras causas para travamento dos dedos, algumas graves como infecções, portanto é imprescindível procurar por quem entende do assunto.

2. Qual o exercício que faz para dedo em gatilho?

Em geral, pode ser necessário realizar a reabilitação com um terapeuta ocupacional, que é o especialista em reabilitação das mãos.

3.Quanto tempo para curar dedo em gatilho?

Após poucos dias da cirurgia o paciente já capaz de desempenhar varias funções com a mão operada. Após a retirada dos pontos (geralmente com 14 dias), o paciente está liberado a utilizar suas mãos sem restrições. A reabilitação pós-operatória é sempre necessária entretanto, quando bem orientado pelo seu cirurgião, frequentemente o paciente pode fazê-la por conta própria. Em alguns casos, a reabilitação formal assistida por terapeuta de mão ou fisioterapeuta será necessária.

4. O que fazer quando o dedo está em gatilho?

Iniciar com compressas de gelo, redução do uso da mão acometida e uso de analgésicos e antiinflamatórios. Em seguida, deve-se procurar um especialista em mãos para investigação e tratamento. É importante não ficar provocando o travamento, pois pode piorar a doença.

5. Pode imobilizar dedo em gatilho?

Inicialmente, sim. A imobilização pode ser indicada somente nas fases iniciais da doença e por curto tempo, para a melhora da dor e da inflamação. Manter por muito tempo imobilizado o dedo pode fazer com que a rigidez piore.

Referências:

Makkouk, A.H., Oetgen, M.E., Swigart, C.R. et al. Trigger finger: etiology, evaluation, and treatment. Curr Rev Musculoskelet Med 1, 92–96 (2008). https://doi.org/10.1007/s12178-007-9012-1

Back To Top