skip to Main Content

Síndrome do Túnel do Carpo: Como funciona o tratamento minimamente invasivo?

Introdução

A síndrome do túnel do carpo é uma doença que leva a dores, formigamento e dormência nas palmas e dedos centrais das mãos. Normalmente acomete mulheres de meia idade após a menopausa, sendo também comuns em gestantes, obesos e alguns trabalhadores braçais.

Deve-se começar pelo tratamento não cirúrgico porém, a partir de determinado momento, após longo tempo de compressão o tratamento cirúrgico deve ser indicado.

Buscando melhorar a recuperação e a qualidade de vida do paciente, existem novas tecnologias hoje em dia que permitem a realização de uma cirurgia minimamente invasiva. O procedimento minimamente invasivo tem como principal vantagem tornar a recuperação mais tranquila e rápida. Isso acontece porque se utiliza um corte muito menor, que leva a menos sangramento, menor inchaço e muito menos sintomas no período pós-operatório.

O que é o túnel do carpo?

O túnel do carpo é um túnel localizado na base da palma das mãos, circundado por fortes ligamentos, e que contém um nervo chamado mediano e os tendões que fazem a flexão dos dedos (também chamados de tendões flexores).

A síndrome do túnel do carpo é uma doença que leva a formigamento nas palmas e dedos centrais das mãos. Ela acontece quando existe compressão do nervo mediano, que é o responsável pela sensibilidade dos dedos.

O que é um nervo?

Um nervo, de forma simplificada, é uma estrutura formada por neurônios e que é responsável por levar informações do nosso cérebro até um determinado músculo ou órgão, para que nós possamos executar alguma tarefa (realizar um movimento ou sentir alguma sensação em nossa pele, por exemplo). É como se fosse um fio elétrico, sendo o interruptor nosso cérebro e a tomada nosso músculo.

No caso do nervo mediano, ele tem como função prover as sensações nos nossos dedos centrais da mão e também fazer com que alguns músculos funcionem.

Quais são os sintomas da síndrome do túnel do carpo?

Comumente a queixa é dor e formigamento nos dedos indicador, médio e polegar. A dor pode ser em forma de choque, e o formigamento pode ocorrer durante o dia, durante os esforços e movimentos com as mãos e, principalmente, à noite. Nos casos mais graves, pode haver sensação de perda de força e atrofia da musculatura das mãos.

Quem pode ter a síndrome  túnel do carpo?

Normalmente acomete mulheres de meia idade após a menopausa, sendo também comuns em gestantes, obesos e alguns trabalhadores braçais. Em todas essas situações há um aumento de líquido ou gordura dentro do túnel, que fazem com que o nervo seja comprimido dentro do túnel.

Outras causas também podem ser: diabetes, doenças reumatológicas com artrite reumatoide e tumores dentro do túnel.

Como saber se eu tenho a síndrome do túnel do carpo?

O diagnóstico é feito, principalmente, por meio do exame físico e uma conversa bem detalhada no consultório.

Existe um exame, denominado eletroneuromiografia, que é capaz de estimar a gravidade do quadro, porque mostra alterações na condução dos impulsos nervosos, o que se associa com o grau de compressão e sofrimento do nervo. Este exame é útil, porém não essencial para que seja fechado o diagnóstico.

É possível tratar sem cirurgia?

Sim, a maioria dos tratamentos deve começar pela tentativa do tratamento conservador, que se baseia em fisioterapia específica, uso de órteses (como se fossem munhequeiras) para uso noturno, além de medicações e orientações como perda de peso.

Síndrome do Túnel do Carpo | Dr. Guilherme Sevá

Porém, a partir de determinado momento, após muito tempo de compressão, a musculatura das mãos pode atrofiar e os formigamentos podem levar a falta de sensibilidade total dos dedos. Neste momento, o tratamento não operatório perde sua eficácia.

Como é feita a cirurgia da síndrome do túnel do carpo?

A cirurgia para tratamento da síndrome do túnel do carpo é feita de forma a seccionar (cortar) os ligamentos que circundam o túnel, assim deixando o nervo livre de compressões.

A cirurgia tradicional é feita por meio de uma incisão no meio da base da palma da mão. Para alcançar a região do nervo, é preciso que o corte seja profundo, o que leva a um período de pós-operatório doloroso, acompanhado de inchaço e dificuldade para usar as mãos no primeiro mês.

Buscando melhorar a recuperação e a qualidade de vida do paciente, existem novas tecnologias hoje em dia que permitem a realização de uma cirurgia minimamente invasiva.

Como funciona o tratamento minimamente invasivo?

 A cirurgia minimamente invasiva é feita por micro câmera e vídeo, por meio de um instrumental específico, de última tecnologia, introduzido por uma pequena incisão na transição do punho para a mão.

Com o auxílio do vídeo o cirurgião consegue enxergar o nervo mediano e os ligamentos a serem cortados. É uma cirurgia minuciosa que deve ser realizada com atenção para evitar lesões no nervo.

Cirurgia Minimamente Invasiva | Dr. Guilherme Sevá

Qual a vantagem da cirurgia menos invasiva?

O procedimento minimamente invasivo tem como principal vantagem tornar a recuperação mais tranquila.

Isso acontece porque ela utiliza um corte muito menor, que leva a um menor sangramento, menor inchaço e muito menos sintomas no período pós-operatório.

O paciente sai do hospital com um pequeno curativo e, ao longo da semana subsequente já está apto a começar utilizar a mão operada. Após poucas semanas, estará liberado para atividades físicas e atividades que usam cargas nas mãos sem restrição

Quais as possíveis sequelas ou complicações da cirurgia da síndrome do túnel do carpo?

A principal complicação ou sequela é a manutenção do formigamento e/ou dor após a cirurgia. Isso acontece quando o ligamento não é cortado totalmente, e pode acontecer tanto na cirurgia tradicional aberta quanto na cirurgia por vídeo.

Outras complicações podem ser: inchaço, dor e sangramentos, associados principalmente à técnica aberta.

Atenção: após a cirurgia, é comum que o formigamento persista por algumas semanas, pois o nervo ainda estará se recuperando. O seguimento pelo especialista no pos operatório é essencial.

É possível operar os dois lados ao mesmo tempo?

É possível, porém não recomendado. Isso porque inicialmente o paciente deve manter a região do corte protegido da água e, na primeira semana, evitar carregar peso. Ao se operar as duas mãos simultaneamente, atividades diárias simples como tomar banho podem ficar extremamente comprometidas.

Felizmente, após a realização da cirurgia minimamente invasiva, de forma breve já é possível se programar a cirurgia da outra mão.

Quem faz a cirurgia minimamente invasiva?

As cirurgias minimamente invasivas têm um processo de aprendizagem pelo cirurgião sempre mais extensas e quando realizadas por profissional menos capacitado podem ter índices de complicação mais elevados. O profissional mais familiarizado com a anatomia da região e com o tratamento da doença é o ortopedista especialista em mãos e punhos.

Para melhores resultados, é recomendável sempre procurar um especialista que tenha experiência neste procedimento, uma vez que procedimentos minimamente invasivos requerem um maior treinamento dos cirurgiões para sua realização, em comparação com as técnicas tradicionais abertas.

Perguntas dos Pacientes

1. O que piora a síndrome do túnel do carpo?

Principalmente situações em que o punho fica muito tempo flexionado para baixo, por exemplo quando dormimos em cima dos punhos. Outra situação é quando o punho é muito utilizado em movimentos repetitivos, por exemplo no trabalho.  Finalmente, condições que levam a uma maior retenção de líquido no corpo também podem piorar os sintomas.

2. Quais são os graus da síndrome do túnel do carpo?

Pode-se dividir a síndrome em três graus: leve, moderado e grave. Geralmente o grau leve causa poucos sintomas e apenas formigamentos eventuais, já o grave leva a atrofia da musculatura da mão e insensibilidade dos dedos.

3. Como identificar a síndrome do túnel do carpo?

A doença pode ser identificada por testes específicos realizados pelo especialista no consultório, que consistem em manobras provocativas na região e observância da ocorrência de sintomas.

4. Quais as sequelas da cirurgia do túnel do carpo?

Os principais riscos da cirurgia do túnel do carpo são resolução incompleta dos sintomas, lesão acidental de nervos ou tendões, liberação incompleta do túnel. Muitas das sequelas são evitáveis através de bom planejamento e técnica cirúrgica.

5. Qual a diferença entre tendinite e síndrome do túnel do carpo?

Tendinite é a inflamação dos tendões, por diversas causas. A síndrome do túnel do carpo e o aumento da pressão dentro do túnel do carpo, pode contribuir para inflamação dos tendões e vice-versa.

6. Quanto tempo é a recuperação da cirurgia do túnel do carpo?

A maior parte dos pacientes operados pela técnica minimamente invasiva consegue voltar a utilizar a mão operada para atividades cotidianas em ate 2 semanas.

7. Síndrome do túnel do carpo pode voltar após cirurgia?

A grande maioria dos pacientes com diagnóstico feito de forma cuidadosa e precisa, operados no momento e da forma correta e com boa reabilitação pós operatória tem alta chance de ter sua doença curada de maneira definitiva. Recidivas (volta da doença) geralmente são infrequentes e relacionadas `a problemas específicos. Casos muito graves operados de maneira tardia podem ter resolução incompleta após a cirurgia, mas na maioria das vezes tem melhora importante.

Referências:

Agee, J. M et al. Endoscopic release of the carpal tunnel: A randomized prospective multicenter study. The Journal of Hand Surgery, 1992 

https://www.arthrex.com/hand-wrist/carpal-tunnel-release

Meyers A, et al. A Systematic Review of the Outcomes of Carpal Ligament Release in Severe Carpal Tunnel Syndrome, The Journal of Hand Surgery,2022.

Back To Top