skip to Main Content

Dor na Planta do Pé: Fasceíte Plantar ou “Esporão do calcâneo”?

A Fasceíte Plantar é uma das doenças mais comuns dos pés, e a dor plantar está relacionada à sobrecarga da fáscia plantar. Comumente chamada de “esporão do calcâneo”, ela gera grande desconforto ao paciente e geralmente o leva a procurar um especialista.

Conheça os principais fatores associados ao aparecimento da condição e os tipos de tratamento disponíveis.

Qual a diferença entre esporão do calcâneo e fasceíte plantar?

De forma prática, são a mesma coisa: Fasceíte Plantar é o nome técnico da doença, porém ela é conhecida popularmente como esporão do calcâneo.

Esse nome é dado devido ao fato de, em algumas pessoas, a dor no calcanhar estar acompanhada de um pequeno esporão na área plantar do calcanhar e ser associada a este.

O que ocorre é que o esporão não é causador da doença e, muitas vezes, não está sequer associado a ela.

Existem casos em que o paciente possui o esporão (identificado por acaso em uma radiografia solicitada para avaliar outra queixa) e não apresenta dor plantar. Isso acontece pela formação de calcificações na região, que podem acontecer devido ao envelhecimento, sobrecarga e algumas doenças como por exemplo as reumatológicas.

Em outros casos, o paciente sente dor e é portador de fasceíte plantar (inclusive em casos graves), porém não encontramos o esporão.

Finalmente, nos casos em que é necessário o tratamento cirúrgico da dor no calcanhar, o esporão, se presente, não é abordado.

Este é o motivo pelo qual não há indicação de realização de exames para avaliar se há a presença do esporão, pois ele pode não estar associado à doença e ser um fator que pode causar confusão ao paciente e atrapalhar o tratamento.

Quais os sintomas da Fasceíte Plantar?

O principal sintoma é a dor no calcanhar, geralmente na parte mais posterior e na face de dentro do pé, e que piora após longos períodos em pé ou caminhando.

Frequentemente o paciente se queixa de uma dor aguda pela manhã logo na primeira pisada do dia ou ao levantar após longos períodos sentado ou deitado.

O que é a fasceíte plantar?

Na doença, acontece a degeneração do tecido da fáscia plantar, que é uma estrutura rígida que se localiza na região plantar do pé e tem como função sustentar o peso, estabilizar o arco do pé e promover o impulso durante a marcha.

Esta estrutura, quando submetida a sobrecarga, sofre um processo de inflamação crônica, que causa dor e déficit de função. Conforme a doença progride, pode ter início um quadro de inchaço e sobrecarga no osso do calcanhar (calcâneo), tornando o quadro mais crônico e de difícil tratamento.

Fasceíte Plantar | Dra. Juliana Doering

Quais são as causas da doença?

Geralmente os fatores que estão mais associados ao surgimento da doença são os que causam sobrecarga na região do pé, mais comumente:

  • Obesidade ou sobrepeso
  • Prática de atividades físicas e esportivas de impacto, como saltos e corridas
  • Encurtamento muscular (o encurtamento leva à alteração da marcha e sobrecarga no pé)
  • Uso de calçados de solado muito baixo (rasteirinhas, sapatilhas, tênis urbanos)
  • Atividades profissionais associadas a longos períodos em pé e com utilização de calçados inadequados

Além disso, algumas doenças como diabetes, hipertensão e doenças reumatológicas podem ser fatores causadores da doença.

Como se trata a dor no calcanhar?

O tratamento é, na grande maioria das vezes, conservador (ou seja, não cirúrgico) e consiste na correção dos fatores associados ao seu aparecimento. Para tal, são necessárias as devidas orientações, além de um programa de reabilitação específica (fisioterapia motora).

Geralmente os protocolos de reabilitação se baseiam em melhora do alongamento muscular, fortalecimento da musculatura do pé e aplicação de gelo.

As medicações como analgésicos e corticóides podem ser prescritas e anti- inflamatórios não hormonais devem ter seu uso restrito.

Por se tratar de uma condição crônica, seu tratamento é lento e a melhora é observada de forma progressiva ao longo de 3 a 6 meses.

Em alguns casos, é possível a associação de outras terapias como a realização de terapia por ondas de choque e infiltrações na fáscia, realizadas por médico habilitado.

Terapia por ondas de choque | Fasceite Plantar
Fasceite Plantar: Terapia por ondas de choque

Em último caso pode ser indicada uma liberação cirúrgica da fáscia.

O que pode ser feito até a consulta médica?

Na presença de dor no calcanhar, o ideal é procurar a ajuda de um especialista pois, frequentemente, o problema não se resolver sozinho com o tempo.

Até a consulta, entretanto, há algumas medidas que podem ajudar com a dor. São elas:

  • Cessar temporariamente quaisquer atividades que possam sobrecarregar os pés, como caminhadas, corridas e atividades com saltos. Para os que vão ao trabalho à pé, vale considerar utilizar algum tipo de transporte durante esta fase.
  • Evitar ficar muito tempo em pé e, se necessário, utilizar calçados com um pequeno “salto”como tênis esportivos ou sandálias de saltos baixos e grossos.
  • Alongar a panturrilha e a região posterior da coxa durante o dia e, principalmente, ao acordar antes da primeira pisada da manhã e após longo período sentado ou deitado.
  • Aplicar compressas de gelo.
  • Utilizar analgésicos simples, como dipirona ou paracetamol, para alívio esporádico. Lembre que a automedicação pode causar danos e que o mais importante é estabelecer um diagnóstico correto antes de se automedicar.

Sofre de Fasceíte Plantar? Procure um especialista em pé e tornozelo

Além da fasceíte plantar, existem outras doenças que podem causar dor no calcanhar, como fraturas por estresse, compressões de nervos dentro do pé, tumores, infecções, entre outras.

Caso o diagnóstico estabelecido não seja correto, o tratamento também não levará ao resultado desejado.

É importante sempre procurar um ortopedista especialista em pé e tornozelo para o correto diagnóstico e o tratamento mais adequado.

Referência: OrthoInfo – https://orthoinfo.aaos.org/

Perguntas dos Pacientes

1. Quem tem fascite plantar pode ficar descalço?

Durante o período de crise de durante a fase inicial do tratamento, em que há dor, o recomendado é evitar ficar muito tempo descalço e preferir o uso de tênis ou calçados com amortecimento no calcanhar. Após as primeiras semanas de tratamento, andar descalço ajuda a fortalecer a musculatura interna do pé e pode ser benéfico.

2. Quanto tempo dura uma crise de fascite plantar?

O tempo de duração é muito variável e individual e depende dos fatores causadores da doença. Se não tratada, a dor pode persistir por meses ou até mesmo anos.  O tratamento geralmente o tratamento é longo e pode durar até 6 meses.

3. Qual o tipo de calçado ideal para quem tem fascite plantar?

Tênis esportivos ou calçados em que haja um pequeno “salto”.

4. O que piora a fascite plantar?

Sobrepeso ou obesidade, uso de calçados muito baixos, longos tempos em pé, atividades esportivas de impacto, encurtamento muscular e algumas doenças como a diabetes.

5. Como dormir com fascite plantar?

Existe no mercado uma órtese específica para uso noturno, que mantém o tornozelo na posição neutra e garante um alongamento noturno da fáscia, minimizando os sintomas matinais. Está indicada em alguns casos específicos, somente. De qualquer forma, é importante realizar alongamentos pela manhã antes de sair da cama.

6. Quem está com fascite plantar pode fazer caminhada?

Se durante a fase sintomática, é melhor evitar. Isto porque a caminhada é uma atividade que causa sobrecarga na fáscia e pode atrasar o tratamento. O ideal é trocar por atividades como natação e bicicleta.

Back To Top